quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Perdido

As vezes a gente perde o sentido e fica perdido sem saber pra onde ir, ai fica ali parado tentando encontrar onde foi que se perdeu, desnorteado, sem saber se segue em frente, ou se volta de onde partiu, mas com a certeza de quem não deve ficar ali onde parou. Respira, olha ao redor, presta atenção no mundo a sua volta e se pergunta: Meu Deus, onde é que eu tô? Não sei, mas vou embora que é melhor seguir em frente.

segunda-feira, 10 de março de 2014

O Conto Do Grande, Tranquilo e Antigo Ent.



Em uma grande e antiga floresta vivia um Ent, um Ent que já havia visto e vivido varias eras. O Ent vivia na floreste, tão antigo quanto ela, uma floresta antiga e tranquila, como o Ent, antigo e tranquilo. O Ent vivia satisfeito, tão tranquilo que já havia até esquecido que era capaz de andar, ou mover-se.

Um dia surgiu na floresta um pequeno grupo de pequenos seres, eufóricos e barulhentos, estavam em uma aventura e por acaso, ou destino, esbarraram no Ent. O Ent questionou-lhes sobre quem eram, o que faziam em sua floresta e para onde iam. Os pequenos seres disseram que vinham de longe, e iam para muito além, que estavam em uma missão e alertaram ao grande, antigo e tranquilo Ent, que os tempos de paz, mesmo na antiga e tranquila floresta, estavam ameaçados. O Ent ficou desconfortável, sabia que estava protegido em sua grande, antiga e tranquila floresta, mas não deixava de pensar nos pequenos, eufóricos e barulhentos seres, e nas coisas que aconteciam fora dali.

Mergulhado em seus pensamentos, não percebeu a presença de um velho, poderoso e conhecido Mago, que estava em sua floresta. O Mago já era velho, mais que o Ent, talvez. O Ent, quando se deu conta da presença do Mago, perguntou para onde o Mago estava indo, o Mago estava indo para uma guerra que aconteceria perto daquela região, e em meio a conversa o Mago convidou o Ent para participar com ele dessa guerra. O Ent nunca havia pensado em se aventurar, ou participar de algo como uma guerra, mas pensou: O que seria melhor, viver por incontáveis eras em sua calma, grande e antiga floresta, ou marcar sua existência com algo como uma aventura? O ente desenterrou suas raízes e disse ao Mago que iria, o Mago o advertiu que ele poderia não voltar, o Ent sorriu e respondeu: "Eu não pretendo voltar".

O Ent foi embora, e tudo ali continuou em paz, como sempre esteve, e como sempre estaria, como se o Ent nunca tivesse saído, ou estado, na grande, tranquila e antiga floresta.


Ciço .Poeta
10/03/2014

Escrito durante uma aula de Direito Empresarial, com o pensamento longe, inspirado nas antigas histórias de Tolkien sobre a Terra Média. Que nada mais é que uma narrativa sobre o encontro dos hobbites e Gandalf com os Ents da Floresta de Fangorn.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013



Ninguém nasce grande, os que hoje são grandes já foram pequenos, e a grandeza que estes ostentam é a prova maior da árdua caminhada pela qual passaram para ser o que são. Se você se acha maior que alguém, é porque você já caminhou mais, mas a estrada da grandeza é para todos, e quando você pensar que não, os pequenos lhe passaram e já são maiores do que você. A caminhada não para e a estrada não tem fim, nesse mundo não deve haver competição, mas cooperação. 

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Fragmentos de memória #01

Os meus "Fragmentos de memória" são diálogos reais que guardei na lembrança e não me recordo onde li, ou que eu mesmo ensaiei e nunca disse, ou que simplesmente imaginei.



- Fique mais um pouco, porque sem você o tempo não passa, sem você o sol se põe e no meu céu há estrelas, sem você me sinto tão perdido e solitário como um anjo que caiu do céu e não pode mais voar. Fique apenas mais um pouco, porque com você não conto as horas, não conto os dias, não conto as vezes em que dormi em seus braços e acordei em seus sonhos. Não vá agora, não desmanche meu sorriso nem o brilho dos meus olhos, fique só mais um pouco, porque o mundo acaba sempre que você se vai, o tempo para, o tempo vai parar.

- Preciso ir, mas não demoro a voltar. Deixe que o mundo acabe, deixe que as horas parem, deixe que sol se ponha, deixe que a noite caia, e durma. Porque eu vou voltar, para acordar dos seus sonhos, para lhe encontrar, para acender o raiar de um novo dia, de um novo mundo, de um novo tempo, de um novo amor. Porque tudo que nasce morre, tudo que começa acaba, tudo que vem, se vai. Mas eu vou voltar...

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Você mente também.


A verdade é que no fundo ninguém quer ouvir a verdade, porque a verdade dói!
É hipócrita todo aquele que se diz amante da verdade e muitas vezes em nome de amizade, respeito ou amor, calou-se. E digo mais, chute a quina da parede com o dedinho do pé aquele que nunca mentiu para não magoar alguém. Mentir é da natureza humana, isso só mostra que você se preocupa com os outros, a mentira nem sempre é uma coisa ruim, na maioria das vezes é um elogio, uma motivação, algo que simplesmente serve pra lhe fazer sentir-se melhor. Aquele que sempre diz somente a verdade está fadado a solidão e ao desprezo, lembre-se disso antes de condenar alguém por mentir, você mente também.



Cicero Chaves Lemos Junior

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Mal Atendimento na loja Peróla Joia Magazine




Esse sabado, dia 17/09, fui a loja Perola Joia Magazine comprar CD's virgens, deixei o carro no estacionamento da loja e antes de comprar fui ver alguns produtos, logo depois fui comprar os CD's na seção de informatica, chegando lá ja vi os CD's e esperei a atendente vir me atender, já que essa é a função dela, não veio e ainda foi para outro lugar, chamei alguem para me atender, uma moça que estava em um birô cuidando de umas notas, ela me respondeu que não era vendedora, que só cuidava das notas, mas ia procurar a vendedora responsável pela seção, quando voltou, sozinha, me perguntou o que eu queria, disse que queria CD's virgens, ela então foi outra vez procurar pela vendedora da seção de informática, quando voltou apenas me disse que não tinha CD's virgens.

Olhei pra ela e perguntei: "Como não tem? O que é isso aqui na frente? Esse disco onde está escrito "CD-R" é oque?"

Ela repetiu que não tinha cd e não quis vender, mesmo eu dizendo e mostrando pra ela os CD's que estavam na minha frente.

Fui embora, muito chateado e revoltado com o atendimento da moça. Como deixei o carro no estacionamento da loja precisava dar baixa no cartão do estacionamento, por não ter feito a compra que queria fazer e a vendedora não quis realizar, tive que pagar pelo tempo de permanência na loja.

Onde ja se viu uma coisa dessas? Uma loja onde tem os produtos e os vendedores não querem atender? Quando atendem dizem que não tem o produto, mesmo quando o cliente vê o produto e mostra ao vendedor?

Na semana antes fui comprar um capotraste (braçadeira) para meu violão, na mesma loja, a Perola Joia Magazine, depois de muito tempo na seção de musica sem ninguém vir me atender, me sentei na cadeira do vendedor e fiquei esperando, como não vinha ninguem, procurei algum tambor ou batuque na seção e comecei a batucar, até que alguem chegou pra me atender e dizer que não tinha o "Capotraste".

Outra vez na seção de informática fui comprar um estabilizador, peguei o estabilizador na prateleira, levei ao vendedor e pedi que ele tirasse a nota pra poder ir pagar no caixa, pois ele pegou o estabilizador e disse:"Perai que ja venho pra tirar a nota." Fiquei esperando o vendedor, depois de uns 15 minutos ele voltou e foi atender outras pessoas, tirou a nota para os outros clientes e não tirou a nota do estabilizador e depois foi embora outra vez, sem me atender!

Eu deveria ter vergonha na cara e não voltar nunca mais a comprar nessa loja, mas como trabalho a semana inteira e moro em Caetés, o único lugar aberto no sábado atarde é maldito Perola. Mas depois disso tudo, tentarei evitar ao máximo fazer qualquer compra nessa loja, onde os funcionários não tem respeito pelos clientes.

domingo, 5 de junho de 2011

Parabens para a policia

Eu devia tá era doido quando postei aquela "coisa" sobre a Cohab II aqui no blog, mas enfim, deixemos isso de lado, ja apaguei.

Hoje, quer dizer, ontem, dia 05 de Junho de 2011 as 18:38 eu estava indo de Caetés para Garanhuns, ia pra casa da minha namorada, eu ia devagar entre 100Km/h e 120Km/h, quando no final da serra que eu estava subindo, na divisa entre as cidades, percebi que uma viatura da policia vinha vindo, vi a luz da sirene piscando de longe e tals, o que não podia imaginar é que vinha em alta velocidade e na contra-mão ultrapassando outro carro, quando vi foi em cima e só não colidi porque tirei o carro da pista, se não fosse isso está hora eu provavelmente estaria morto ou em coma no hospital.

Perseguiam alguem? Não percebi isso, acho que estavam brincando de velozes e furiosos, foi muita irresponsabilidade da parte deles, não sei de onde era a viatura, se era de Garanuns, Caetés ou Capoeiras, só sei que quase me mataram.

Quando a gente vê a morte de frente e percebe que pode morrer e escapa da morte, da vontade de fazer tudo aquilo que sente vontade e não teve tempo de fazer ou foi censurado, mas logo essa vontade passa quando você começa a pensar que não vai morrer tão cedo e que tudo pode esperar. Fica dificil entender.


O homem espera pelo futuro, mas não percebe que o presente ja foi o futuro que esperava e não chegou.

terça-feira, 29 de março de 2011